Estamos AQUI.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Oficina de Criação de Vídeo Experimental

Oficina de Criação Vídeo Experimental - BragaCult
Formador: Frederico Madeira
Espaço: Ger@ções 3D
Fotografia: Vera Afonso

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

INSCRIÇÕES ABERTAS: Oficina de Leitura e Interpretação para professores


OFICINA

LEITURA E INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS


(dirigida a professores)

actividade em colaboração com a Rede de Bibliotecas de Braga

no âmbito do III Encontro de Autores do Minho dedicado a Sebastião Alba


Número máximo de participantes: 20
Duração: 50 horas
Sessões de oficina: 20 (uma sessão-semana de 3 horas, ao sábado, entre as 10.00 e as 13.00)
Início a 13 de Dezembro 2014; término a 18 de Abril 2015
Apresentação pública: Abril 2015
Responsável: Sílvia Brito (Companhia de Teatro de Braga)

APRESENTAÇÃO

A leitura tem implicações cognitivas e afectivas de carácter individual que podem ser estimuladas e desenvolvidas através de uma prática partilhada. O contexto de 'jogo' proposto nesta oficina pretende propiciar novas abordagens sobre o acto de leitura fundadas no exercício da palavra-corpo como acto de interpretação e comunicação.


DESCRIÇÃO

— Leitura de textos de autores de Braga com particular incidência na obra de Sebastião Alba.
— Serão utilizadas técnicas e metodologias de preparação, leitura, análise/interpretação, enunciação e jogo de natureza teatral com o intuito de promover o gosto e o desempenho com base na interpretação individual da palavra e dos sentidos do texto em contexto de jogo colectivo e partilhado.


OBJECTIVOS

— Criação de contextos de leitura que estimulem o envolvimento activo dos actores/leitores na construção dos sentidos dos textos e da sua partilha com os ouvintes/espectadores;
— Sensibilizar os participantes para o exercício de "contar e ouvir contar histórias";
— Sensibilizar os participantes, através da experimentação do LER, para assumirem a Palavra e os Sentidos do texto, a partir de aproximações à sua própria memória, corpo e realidade em contexto da prática teatral;
— Estimular e melhorar as capacidades de leitura e análise interpretativa, a partir das questões que os textos levantam confrontados com o factor individual da experiência e conhecimento do mundo e com o factor de construção cénica;
— Potenciar a capacidade de reflexão, diálogo e actuação sobre o real.



SÍLVIA BRITO

Actriz e encenadora, colabora regularmente desde 2013 com a CTB - Companhia de Teatro de Braga: integrou o elenco da Trilogia Oresteia, de Ésquilo (encenação de Rui Madeira, 2013), dirigiu Oficinas de Leitura e Interpretação (2013-2014) no âmbito do projecto BragaCult, encenou o espectáculo Em Pessoa (textos de Fernando Pessoa, 2014) e integra o elenco de Os Músicos de Bremen (encenação de José Caldas). Iniciou a actividade teatral no Cénico de Direito em 1985. Integrou o elenco do Teatro Nacional D. Maria II (1990-92). N'A Escola da Noite (Companhia de Teatro de Coimbra) desenvolveu trabalho teatral durante dezoito anos (1992-2010) nas áreas da actuação, encenação, formação e documentação teatral. Em 2011 fundou, com António Jorge, o projecto de criação, formação e programação artística 'Razões Poéticas - associação informal de artes' que desenvolve actividades de formação de públicos em Penela. Dirigiu acções de formação teatral para amadores, estudantes de teatro e actores profissionais, leccionou seminários no 'Curso Profissional de Artes do Espectáculo - Interpretação' da Escola de Teatro São Teotónio e elaborou projectos de formação na Escola Profissional de Artes e Ofícios do Espectáculo do Chapitô (2012).



INSCRIÇÕES: bragacult@gmail.com

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

CTB DÁ INÍCIO A OFICINA DE LEITURA E INTERPRETAÇÃO



A CTB - Companhia de Teatrode Braga dará início no dia 24 de novembro à Oficina de Leitura e Interpretação. Esta Oficina acontece no âmbito do Projeto BragaCult2, tem a duração total de 30 horas e destina-se a crianças e adolescentes com idades compreendidas entre os 10 e os 17 anos. A Oficina será orientada por Thamara Thais e Rogério Boane  e irá decorrer em parceria com o Centro Cultural e Social de Santo Adrião (CCSSAdrião), no âmbito do Projeto CAT (Centro de Acolhimento Temporário) - "A ponte de regresso a casa", uma valência a funcionar há 14 anos que tem por finalidade o acolhimento urgente e transitório, por período não superior a 6 meses. O Projeto acolhe crianças e jovens provenientes do concelho de Braga, integradas na valência e encaminhadas por algum serviço da comunidade CPCJ (Comissão de Protecção de Crianças e Jovens) / TMBRG (Tribunal de Menores de Braga).

Os formadores pretendem através desta Oficina sensibilizar os jovens para o exercício de "contar e ouvir contar histórias" através da experimentação do ler e assumirem a palavra e os sentidos do texto a partir de aproximações à sua própria memória e realidade. Estimular a capacidade de análise interpretativa a partir das questões que o texto sempre levanta e potenciar a capacidade refletiva e de afirmação pessoal a partir das ideias.

Thamara Thais, é licenciada em Ciências da Comunicação pela Universidade do Minho (2012). Atriz da Companhia de Teatro de Braga, participou em espetáculos como As Bacantes (2008), Preconceito Vencido (2009), Sabine Freire (2009), Jardim (2011) Auto da Barca do Inferno (2011), Falar a Verdade a Mentir (2012) e Em Pessoa (2013). Em 2010 e 2011 ocupou a posição de assistente de encenação nos espetáculos A Cabeça do Baptista e Concerto "à la Carte".

Rogério Boane, participou entre 1999 e 2002 no Festival de Teatro e Dança na África do Sul com o bailado Lágrimas do Passado. Participação num Workshop da Cena Lusófona, em Maputo com o objetivo de escolher um ator com capacidade de representar o seu país na peça Quem Come Quem, integrado no projeto Viagem ao Centro do Círculo, uma co-produção Cena Lusófona, A Escola da Noite, Companhia de Teatro de Braga e Teatro Vila Velha (Brasil). Coordenou a Oficina Dança Africana integrada no Projecto AU!/2 Alternativas Urbanas/2. Em 2003, participou no Projecto Amadixão, trabalhando com o Centro de Idosos de Santo Adrião com o objetivo de motivar os idosos a contar histórias. Desde 2004, tem participado como ator em espetáculos como Da Vida de Komikaze, A Vida Como Exemplo, Praça de Touros e Jardim de Alexej Schipenko, A Estalajadeira de Carlo Goldoni, O Menino Dino de José Ananias, Doroteia de Nelson Rodrigues, Buraco de Regina Guimarães, Pára-me de Repente de Vergílio Alberto Vieira, Auto da Barca do Inferno de Gil Vicente, Trilogia 1José 2Rubem 3Fonseca de Rubém Fonseca, A Cabeça do Baptista de Ramón del Valle-Inclán, A Arte do Futuro/Último Acto de Anna Langhoff e Alexej Schipenko, Transit de Regina Guimarães e Saguenail, Falar Verdade a Mentir de Almeida Garrett, Oresteia (Agamémnon. Coéforas. Euménides.) de Ésquilo, As Orações de Mansata de Abdulai Sila e Os desaparecidos a partir de Amerika de Franz Kafka.

Esta Oficina deriva de uma parceria feita entre a Companhia de Teatro de Braga e o Centro Cultural e Social de Santo Adrião, sendo que já está a decorrer a Oficina de Criação de Vídeo Experimental com o Projeto Ger@ções3D do Bairro Nogueira da Silva. Ambas as Oficinas são gratuitas.

Oficina realizada no âmbito do Projeto BragaCult2 desenvolvido pela Companhia de Teatro de Braga que visa a revitalização cultural da zona histórica e malha urbana da cidade, a partir de novas abordagens às práticas culturais que, de modo sustentado, garantam a participação ativa das populações, na busca de melhores públicos e mais qualificada cidadania. Ao longo de 2014, o Projeto BragaCult/2 realizará um conjunto de ações e oficinas específicas nas áreas da Expressão (o Corpo e as Disciplinas Teatrais), da Palavra (Escrita e Memória), do Áudio (Exploração e Recriação do Som) e do Vídeo (Exploração e Produção de Imagem).

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Início da Oficina de Criação de Vídeo Experimental


O Projeto BragaCult dará início no dia 10 de novembro à Oficina de Criação de Vídeo Experimental. Esta Oficina tem a duração total de 40 horas e destina-se a crianças com idades compreendidas entre os 6 os 9 anos. A Oficina será orientada por Frederico Bustorff Madeira e irá decorrer em parceria com o Centro Cultural e Social de Santo Adrião (CCSSAdrião), no âmbito do Projeto Ger@ções3D do Bairro Nogueira da Silva. 
O Projeto Ger@ções3D é uma valência do CCSSAdrião, uma resposta inovadora a situações sociais complexas que atingem crianças e jovens em risco com idades entre os 5 e os 18 anos. 

Frederico Bustorff Madeira pretende abordar a criação vídeo experimental como forma de ganhar consciência do trajeto histórico da imagem em movimento, e de como é possível experimentar/criar associações entre as imagens que povoam os dois lados das nossas existências: o dentro (no sentido de intimo) e o fora (no sentido de publico). Portanto, esta oficina pode ser enriquecedora tanto em termos de competências técnicas e artísticas, assim como, para ganhar consciência do poder da imagem nos dias de hoje, pretendendo contribuir para uma tomada de consciência da qualidade das diferentes imagens que compõem os nossos mundos interiores e exteriores. Tem como objetivo principal estimular o trabalho em equipa e as relações interpessoais.

Frederico Madeira tem um mestrado em Som e Imagem, especialização Televisão e Argumento da Universidade Católica Portuguesa - Escola das Artes.
Dissertação de Mestrado, subordinado ao tema “Play with life, play with movies” na Universidade Católica Portuguesa - Escola das Artes/Hogeschool Sint-Lukas, Bruxelas.
3.o Ano de bacharelato em cinema na Hogeschool Sint-Lukas, Brussel: Cinema/“Atelier Documentaire”.
Estágio na Produtora Periferia Filmes: assistente de realização, montagem e produção na área cinema, Áreas de maior interesse e nas quais tenho vindo a direccionar os meus estudos e trabalho são essencialmente o cinema e o teatro. Duas artes distintas que, por isso mesmo e pelo seu carácter eminentemente visual, convergem e divergem em aspectos fundamentais. O prazer que fui nutrindo pela realização de espectáculos teatrais, foi também fundamental para o aprofundamento e entendimento das duas artes.
A CTB tem oferecido uma diversidade grande de encenadores e espectáculos, o que permite a abordagem e experimentação do meu trabalho sobre diferentes perspectivas da arte teatral e da consequente transposição para imagem.

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

"Dramaturgias e práticas teatrais no México, Espanha-Galiza e Portugal" 13 out'14 | 19h00 | galeria emergentes dst

No dia 13 de Outubro pelas 19h00, a CTB dará início ao "Ciclo de conversas sobre O TEATRO DO MUNDO" com o debate "Dramaturgias e práticas teatrais no México, Espanha-Galiza e Portugal". O debate, que terá lugar na galeria emergentes dst, acontece no âmbito da apresentação do espetáculo Pequenas Certezas que a companhia Sarabela Teatro, de Ourense (Espanha), apresentará no dia 14 de Outubro pelas 21h30 no Theatro Circo. Este debate contará com a presença de Ánxeles Cuña Bóveda (encenadora da peça), Bárbara Colio (autora do texto), Xaquín Núñez Sabarís (Professor do ILCH da UMinho) e Rui Madeira (diretor da CTB).

Pequenas Certezas é um espetáculo que a CTB acolhe em Braga, no âmbito da estratégia de complementaridade integrada na programação do Theatro Circo. 

Bárbara Colio é membro do Sistema Nacional de Criadores de Arte. Recebeu o Prémio Internacional María Teresa León para Autoras Dramáticas 2004, Espanha, pela sua obra Pequenas Certezas, sendo a primeira mexicana a obter tal galardão.Esta obra estreou no México (2007), em Inglaterra (2008) e no Perú (2009). Editada pela editora A Centena, no México, a ADE em Espanha, e pelo selo Nick Herm Books em Inglaterra. Colio iniciou-se em 1988 na arte teatral como atriz em Baixa California, seguindo-se a produção independente e a direção cénica.
Dedica-se às letras desde 1998. Tirou o Diploma em Dramaturgia na Escola de Letras de Madrid, Espanha. Foi escritora residente do programa The Royal Court Theatre International Residency for Emerging Playwrights, em Londres, e no Writers Room, em Nova Iorque.
Em duas ocasiões foi-lhe outorgado o Prémio Estatal de Literatura de Baixa California. Conta com mais de uma quinzena de textos publicados, os quais foram levados a cena em diversos pontos do México, Estados Unidos da América, Europa e América do Sul. Obteve o Prémio Nacional Víctor Hugo Rascón Banda 2009 e o Prémio a Melhor Obra Jornalística pela Associação de Jornalistas Teatrais, pela sua obra Você está aqui, estreada em 2010, e pela sua obra Cordas recebe o Prémio Nacional de Dramaturgia de Belas Artes 2009. É apoiada pelo Fundo Ibero-americano Iberescena de Criação Dramática 2011.
Como docente desenvolveu variados laboratórios de dramaturgia em diversos estados do país, nos Estados Unidos e em Lima, Perú.
 
                                                                   - Entrada livre - 
 

terça-feira, 16 de setembro de 2014

INSCRIÇÕES ABERTAS: Comunidade de Leitura Dramática



                                                      
O QUE É?
Um lugar e um tempo onde pessoas se encontram para LER EM VOZ ALTA textos dramáticos.

Como se organiza?
Interessados a partir dos 17 anos, inscrevem-se : http://www.ctb.pt/ ou pelo 253 217167 ou bragacult@gmail.com

COMO FUNCIONA?
Em cada sessão uma personalidade convidada (da área das letras, das ciências, das artes, da economia, da política, etc.) propõe um texto dramático.

Esse texto é distribuído pela Comunidade.
Mensalmente acontecerá uma Leitura Pública da Obra, apresentada pela personalidade Convidada. Após a leitura haverá debate.

ONDE?
Teatro Circo.


JUSTIFICAÇÃO:
Uma das dificuldades mais sentidas pelas pessoas, quer no contexto escolar, quer no contexto profissional, é incapacidade de comunicar. Uma das razões para esta incapacidade reside na falta de hábitos de Leitura e, por consequência, numa deficiente percepção da riqueza imagética da Palavra. Urge por isso criar condições para a destreza na verbalização da Palavra e para a experimentação sobre a sua pluralidade de sentidos.


A Leitura conjunta em Voz alta, de textos dramáticos, pela sua própria natureza, é um material de experimentação inesgotável.


OBJECTIVOS:
• Melhorar as capacidades de leitura interpretativa
• Melhorar as capacidades de comunicação verbal.
• Contribuir para uma mais elevada cultura dramática.
• Melhorar a qualidade dos espectadores de teatro.

INICIO: 23 de setembro de 2014


"Aquilo que melhor define a Comunidade de Leitura Dramática, à qual pertenço, e tão bom que é este sentimento de pertença, é o compromisso com a leitura por parte de todos os seus elementos. Todos e diferentemente leem por admiração, por curiosidade, pelo desafio. Porque aqui se lê, apenas pelo prazer de ler. Ler para si, ler em voz alta, ler para o outro. As apreciações ao texto e a sua interpretação, manifestam afeto, apreciando a obra e o autor, mas também a voz que dá corpo ao texto." (Opinião de Maria do Céu Costa, membro da Comunidade de Leitura Dramática desde 2011)

"Tanto para dizer sobre a Comunidade de Leitura Dramática, da qual faço parte desde a primeira apresentação púbica com a peça de Lorca “A Casa de Bernarda Alba”, no salão nobre do Theatro Circo, em 2010… Ainda hoje recordo e “sinto” o entusiasmo e a magia desse momento! Unidos pelo prazer de ler em voz alta textos dramáticos belíssimos que ganham vida através das diferentes vozes de cada leitor, amigo, companheiro de partilha de trabalho, aprendizagens e emoções. E as experiências que partilhamos todos juntos, as aprendizagens e as conquistas que alcançamos ao longo deste processo? Foram enormes e incontáveis. Um Bem Haja à CTB por colocar ao dispor de todos nós tao nobre projeto!" - (Opinião de Ana Cristina Oliveira, membro da comunidade de Leitura Dramática desde 2010)


https://www.facebook.com/Bragacult?sk=reviews&ref=hl

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Apresentação Pública da Oficina de Leituras Encenadas

3 de julho - 21h30

Sensibilização dos participantes através da experimentação do LER EM CENA, a assumirem a PALAVRA e os SENTIDOS do texto pondo o seu CORPO em relação com o ESPAÇO-TEMPO DA REPRESENTAÇÃO; 

Sob a orientação do ator, cenógrafo, iluminador e figurinista Antonio Simón.

Esta oficina é realizada no âmbito do Projeto BragaCult/2 desenvolvido pela Companhia de Teatro de Braga que visa a revitalização cultural da zona histórica e malha urbana da cidade, a partir de novas abordagens às práticas culturais que, de modo sustentado, garantam a participação ativa das populações, na busca de melhores públicos e mais qualificada cidadania. Ao longo de 2014, o Projeto BragaCult/2 realizará um conjunto de ações e oficinas específicas nas áreas da Expressão (o Corpo e as Disciplinas Teatrais), da Palavra (Escrita e Memória), do Áudio (Exploração e Recriação do Som) e do Vídeo (Exploração e Produção de Imagem).

Entrada Livre

Mais informações através do 253 217 167 ou através do email bragacult@gmail.com

Exposição da Oficina de Cenografia e Iluminação

Apresentação de alguns trabalhos realizados durante a Oficina de Cenografia e Iluminação.

Orientada por Antonio Simón.

Foyer do Theatro Circo

3 de julho - 21h00


- Entrada Livre -

Esta oficina é realizada no âmbito do Projeto BragaCult/2 desenvolvido pela Companhia de Teatro de Braga que visa a revitalização cultural da zona histórica e malha urbana da cidade, a partir de novas abordagens às práticas culturais que, de modo sustentado, garantam a participação ativa das populações, na busca de melhores públicos e mais qualificada cidadania. Ao longo de 2014, o Projeto BragaCult/2 realizará um conjunto de ações e oficinas específicas nas áreas da Expressão (o Corpo e as Disciplinas Teatrais), da Palavra (Escrita e Memória), do Áudio (Exploração e Recriação do Som) e do Vídeo (Exploração e Produção de Imagem).


Mais informações através do 253 217 167 ou através do email bragacult@gmail.com

terça-feira, 20 de maio de 2014

ABERTAS as Inscrições para a Oficina de Ficção Áudio

Destinada a jovens a partir dos 14 anos.
Número máximo de participantes:10
Tempo de duração: 30 horas, em Junho
Responsável: Pedro Pinto
Local: Antiga Estação da CP

JUSTIFICAÇÃO:
Na Oficina de Ficção Áudio são desenvolvidas processos criativos directamente ligados à narrativa. Esta oficina poderá representar um seguimento para o trabalho desenvolvido nas oficinas de leitura dramática ou de leituras encenadas, pondo ao dispor dos participantes uma panóplia de materiais e técnicas, bem como espaços indicados à gravação e edição dos textos em formato áudio, para que eles possam guardar registo do trabalho desenvolvido ou até mesmo publicá-lo.

DESCRIÇÃO:
 
Os participantes serão encorajados a partir de um texto (seja um romance, poema, conto, texto dramático, anedota, letra de canção ou guião cinematográfico) para desenvolver conteúdos sonoros de forma a construir ambientes sonoros e acompanhar a narração, acções, diálogos. A oficina estará dividida em 3 módulos de aproximadamente 10 horas cada. No primeiro módulo é feita uma introdução teórica e confrontar-se-ão os formandos com trabalhos desenvolvidos tanto ao nível do Livro Sonoro, como de Peças Radiofónicas, incentivando a análise crítica dos mesmos. Ao mesmo tempo, são introduzidas as ferramentas técnicas que os formandos terão ao seu dispor no estúdio de som – Workstation, cabine de gravação, gravador portátil, microfones, hardware e software de Som, etc. No segundo módulo iniciar-seá o desenvolvimento dos projectos individuais ou de grupo e realizar-se-á uma série de experiências práticas de gravação e mistura de som, à medida que se vão apurando ideias e firmando capacidades técnicas. Nesta fase os participantes poderão contar com o apoio de atores da CTB para gravação de vozes e auxiliar na interpretação dramática de textos específicos. No terceiro módulo os projectos serão finalizados, apresentados publicamente e analisados, quer pelo formador, quer pelos formandos. Não só o produto final mas todo o processo de trabalho será examinado e explicado de forma a partilhar experiencias e enriquecer futuras criações artísticas centradas no áudio.

OBJECTIVOS:
 

Adaptar diversos estilos literários ao formato áudio, de forma a criar peças sonoras individuais ou em grupo. Estimular e enriquecer as capacidades técnicas e artísticas dos participantes. Continuar o trabalho desenvolvido por oficinas anteriores do Bragacult com base na narrativa e leitura dramática (Fixação de Narrativas Orais, Leitura e Interpretação, Leituras Encenadas). Aumentar as capacidades críticas e de análise sobre o trabalho sonoro. 

COORDENADOR:
Pedro W. Pinto, nascido em 1982, é licenciado em Som e Imagem pela Escola das  Artes, Universidade Católica Portuguesa. Durante a licenciatura foi vencedor do prémio de Melhor Áudio Experimental no festival Black & White 2004. Em 2006 terminou a sua especialização em Som e iniciou a colaboração com a Companhia de Teatro de Braga como sonoplasta. Em 2006 e 2007 ocupou a posição de animador sociocultural do serviço educativo do Museu dos Transportes e Comunicações do Porto, onde monitorizou diversos grupos de trabalho em oficinas de rádio e televisão, no âmbito do projeto Comunicação do Conhecimento e da Imaginação. De 2007 a 2009 colaborou intensivamente com a Companhia de Teatro de Braga,  tendo trabalhado com vários encenadores nacionais e internacionais como criador de Som e de Vídeo. Em 2009 decide mudar-se para Berlin onde viveu e trabalhou até 2012. Aqui associa-se como criador de Som e Vídeo ao grupo de teatro O-Team, com quem tem vindo a desenvolver espetáculos em várias cidades alemãs. Também em Berlin funda o grupo de teatro independente “Mechanicaltheatre”. Continua como colaborador regular da CTB e em 2013 funda o coletivo artístico Rodaviva, principal responsável pelas suas criações de Vídeo e Som. Participou como coordenador nas oficinas de Produção de Audiobooks e de Esculturas Sonoras no primeiro projeto Bragacult e já em 2014 criou a composição “Bragacult Soundscape”, utilizada como instalação sonora no projeto de intervenção urbana Mostra ´Cidade. Ainda em 2014 Justa-se à produtora internacional Non-Dual Productions.


Mais informações através do 253 217 167. 
Inscrições abertas no site www.ctb.pt ou através do email bragacult@gmail.com


Esta oficina é realizada no âmbito do Projeto BragaCult/2 desenvolvido pela Companhia de Teatro de Braga que visa a revitalização cultural da zona histórica e malha urbana da cidade, a partir de novas abordagens às práticas culturais que, de modo sustentado, garantam a participação ativa das populações, na busca de melhores públicos e mais qualificada cidadania. Ao longo de 2014, o Projeto BragaCult/2 realizará um conjunto de ações e oficinas específicas nas áreas da Expressão (o Corpo e as Disciplinas Teatrais), da Palavra (Escrita e Memória), do Áudio (Exploração e Recriação do Som) e do Vídeo (Exploração e Produção de Imagem).